Carta de António Sérgio


 

 

Lisboa, 30 de Setembro (1957)

 

Meu caro Brotas,

 

Contra o meu desejo, os republicanos reunidos no Porto, no domingo, decidiram-se pela abstenção.  Creio que de futuro me deverei limitar, como acção colectiva, ao cooperativismo, e no resto ser um combatente isolado, um franco atirador. Gostaria de que os jovens, no caso de insistirem em apresentar uma lista, escolhessem só homens com menos de cinquenta anos e indiscutivel prestígio moral e intelectual.

 

Cordialmente seu

 

             António Sérgio