CFIF 2005

Relatório da actividade de António Brotas no CFIF em 2005

A minha actividade científica em 2005, no essencial, esteve relacionada com a ideia  - absoluta convicção  -, de que daqui a algumas décadas as leis elásticas dos corpos rígidos descobertas por Mc Crea, em 1952, e depois   por mim próprio, em 1968,  vão estar nos tratados de Relatividade.  

O desinteresse da comunidade científica por este assunto é devido ao facto de na Física Teórica actual,  no essencial uma física de particulas e de campos, os corpos sólidos  não estarem relacionados com nenhum problema considerado relevante.   

Na abordagem quântica de  problemas como os da travessia de um horizonte de Schwarzschild  por particulas e/ou campos, progrediu-se muitíssimo, mas não encontramos em parte alguma  estudado  com equações diferenciais (numa abordagem não quântica) o problema da passagem de um corpo extenso  por este mesmo horizonte.   

Este problema só pode ser estudado com as fórmulas da Elaticidade Relativista que não figuram em nenhum tratado de Relatividade. 

De igual modo, o problema da abordagem clássica (não quântica)  da transmissão do calor em Relatividade exige a consideração destas fórmulas dado ser necessário escrever as equações conjuntas (o sistema de equações) da transmissão do calor e da deformação.  

Este  problema tem sido ignorado (e não resolvido)  nas   tentativas que  têm sido feitas para encontrar uma versão relativista da equação de Fourier, ou seja, para encontrar a equação da transmissão do calor numa barra indeformavel .  

Ora, em Relatividade,  não há corpos indeformaveis.  O corpo indeformavel é uma noção geométrica e não física.  O corpo rígido, no sentido o mais rígido possivel (noção física) é deformavel, conforme mostrou Mc Crea em 1952 e eu próprio em 1968. 

Born, em 1909,  estudou o corpo indeformavel mas, infelizmente, chamou-lhe rígido.  O “rigid boby” que encontramos em todos os tratados de Relatividade  é, de facto, o corpo indeformavel de Born de 1909.  Este erro de designação deu origem a inúmeros “paradoxos” que subsitem nos textos de Relatividade e que desaparecem desde que se faça a simples distrinção entre “rígido”e “indeformavel”  . 

No ano de 2005 considerei que valia a pena dedicar  alguma atenção a estes  assuntos. Assim, preparei duas exposições sobre os problemas referidos, a segunda em colaboração com o Professor João Carlos Fernandes do Departamento de Física do IST com os titulos: “Fishing in Black Holes” e  “Heat transfer in Theory of Relativity”apresentamos em Setembro, em Oviedo,  no Spanish Relatvity Meeting  “A century of Relativity Physics” . A segunda comunicação pode ser encontrada em :  arXiv:physics/0604221 v1 27 Apr 2006  .